A inclusão de pessoas com (d)eficiência nos Lugares Incríveis para Trabalhar

Na semana passada – 3 de dezembro, especificamente – tivemos o dia internacional das pessoas com deficiência. É uma data comemorativa promovida pelas Nações Unidas desde 1992, com o objetivo de promover uma sensibilização dos assuntos relativos à deficiência e mobilizar a defesa da dignidade, dos direitos e o bem estar das pessoas. É extremamente importante tratar a inclusão por questões morais, mas também pelos benefícios trazidos em cada aspecto da vida política, social, econômica e cultural. E desde 2006, essa data também passou a ser comemorada como o dia da e-acessibilidade, já que as tecnologias e os meios de comunicação também costumam ser bastante excludentes, tornando-se relevante a conscientização do tema.

A pesquisa FEEx – FIA Employee Experience mede, por um lado, o quanto as pessoas, com e sem deficiência, estão satisfeitas e engajadas com seu trabalho. Por outro lado, verifica-se o quanto as empresas oferecem facilidades, acessos e práticas para o público com deficiência.

Na edição de 2021, para PCDs, a frequência de adoção de práticas específicas é significativamente maior entre as organizações. 22 empresas premiadas entre os 120 Lugares Incríveis para Trabalhar vão além da cota de contratação estabelecida por lei, desenvolvendo ações específicas para este processo, mapeando as adequações necessárias nas instalações, buscando treinar e desenvolver profissionalmente as pessoas com deficiência e trabalham a comunicação e informação para inclusão dessas pessoas no ambiente de trabalho. Como resultado, o público de PCDs dessas organizações apresenta uma percepção mais positiva sobre o tratamento igualitário entre pessoas de qualquer idade, raça e orientação sexual.

O papel da liderança também ganha destaque na avaliação das pessoas com deficiência, de forma que as diversas ações adotadas sobre o tema refletem na superação do desafio de desenvolver competências de liderança que permitam desenvolver e incluir este grupo de pessoas no ambiente de trabalho. Outros aspectos importantes para a convivência do dia a dia, como as instalações da empresa, que também são impactados positivamente.

A adoção da totalidade dessas práticas é mais comum entre empresas de grande e médio porte. Dentre as 22 organizações adotantes, 10 são grandes empresas, 9 correspondem a empresas de médio porte e apenas 3 representam as empresas de pequeno porte. Porém, para este último grupo há um fator de destaque quando o assunto é PCD na liderança: 10% dessas organizações possuem a maior média dos cargos de gestão representados por pessoas com deficiência – cerca de 11% das posições são ocupadas por alguém com deficiência. Entre 17% das premiadas de grande porte, o maior percentual é de 5%; em 4% das médias empresas premiadas, alcança o máximo de 8%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.